Novembro 5th, 2017 Por nuno

O tempo investido num blog é imenso e ver tudo a desaparecer de um dia para o outro é terrível. Neste artigo está uma lista de tarefas a fazer regularmente para manter o conteúdo seguro e poder recuperar de um acidente. Porque mais vale prevenir do que remediar.

A parte de escrever para um blog quase parece fácil ao fim de algum tempo. Na verdade há um imenso trabalho por trás que o WordPress torna simples, mas que temos de saber que existe para proteger.

Guardar os Rascunhos

Um blog tem diferentes partes. A mais óbvia são as páginas e as publicações. As páginas são usadas para exibir a informação mais estática (como o Sobre Mim e os Contactos) e as publicações (também chamados posts ou artigos), aquilo que se faz regularmente com diferentes conteúdos. O ideal para evitar acidentes é não usar o blog para rascunho de nenhum deles. Em especial quem tem um calendário de publicações e costuma ter vários textos em elaboração ao mesmo tempo.

Ter outro local para fazer os textos (em Word por exemplo) ajuda a manter a administração do blog limpa e provavelmente é mais fácil para trabalhar offline. Dá para editar o texto, para posicionar as fotografias, para fazer os links…. Só começas a passar para online quando estás na fase final e recorres a ferramentas de SEO como Yoast ou Swonkie para melhorar o artigo.

Para aumentar a segurança, esses ficheiros deverão estar guardados em algum sítio com backups automáticos. Uma pasta de Dropbox, Google Drive, OneDrive ou semelhante serve. Assim tens uma cópia online caso o computador do costume tenha problemas ou simplesmente não esteja disponível.

E quem faz isso para uma publicação, também pode fazer para cada página do blog.

Depois há a questão das fotografias. Provavelmente tens um álbum com todas as fotografias que tiraste, mas convém teres uma pasta das que usaste no blog. Por um lado porque se quiseres reutilizar uma foto só precisas de procurar entre cem em vez de entre dez mil. Por outro porque se não quiseres repetir fotos, convém saberes exatamente o que já foi usado.

Até aqui é a parte fácil. Depois vem a parte mais complicada.

Mas o artigo publicado não é igual ao rascunho

A ideia de manter um artigo em rascunho até é boa, mas a verdade é que assim que seja publicado vai ficar diferente. Seja porque tiveste uma ideia para uma nova frase ao copiar, ou porque te assinalaram um erro dez minutos depois de publicado, o artigo não vai sair igual ao rascunho. Por isso é importante guardar também o que foi publicado. A forma mais simples é seguir o blog por RSS e guardar cada artigo que saia. Há ferramentas com várias complexidades que o fazem. O Outlook (sim, o de ver o correio) ou o IFTTT são fáceis de usar e servem para o efeito. No pior cenário tens de esperar que o Internet Archive tenha guardado esse artigo, mas isso para blogs só acontece duas vezes por ano, com sorte.

O melhor é ajustares a data sempre que corriges o artigo de forma significativa para que volte a aparecer nos feeds de quem segue o blog. Nesses casos é provável que o Outlook ache que já recebeu o artigo, mas há sempre outras formas de guardar. Há plugins para mandar por email automaticamente cada post se quiseres, mas nem todos reenviam quando são feitas edições.

Eu fiz um site apenas para guardar os artigos. Não dá para todos, mas faz o que quero. Esse site valida as últimas dez publicações a aparecer no feed de cada blog e faz uma cópia. Se alguma for alterada enquanto está no feed, corrige. Se algum artigo desaparecer, manda-me um aviso.

Para que estou a guardar tudo isto?

Já adivinho os pensamentos “De que adianta guardar cada artigo? Se o blog for ao ar tenho de os inserir um a um?“. A resposta é sim. A não ser que tenhas um backup como deve ser. Toda a informação do blog está guardada em ficheiros e bases de dados. Para recuperar um blog em minutos em vez de dias, o segredo é fazer cópias de segurança e em caso de desastre (ou apenas de mudança de servidor) fazer a recuperação.

Existem três partes fundamentais: artigos, temas, plugins. E há formas automáticas de fazer backups a tudo isso.

Só para esclarecer, um ficheiro é aquilo que se guarda tantas vezes no computador. Os .txt, .jpg, .doc… Uma base de dados é normalmente um conjunto de tabelas. Uma base de dados de artigos do blog pode ter o seguinte aspeto:

Posts
NúmeroTítuloConteúdoData publicaçãoAutor

 

Comentários
NúmeroRelativo ao PostConteúdoData publicaçãoAutor

 

Autores
NúmeroNomeEmailSobreAtivo

E a base de dados fica toda num só ficheiro. Como num Excel.

Como fazer uma cópia de segurança do blog?

A resposta a quase tudo sobre WP é “com um plugin”. E temos um para isso: o Updraft Plus.

A parte fundamental e a que muda mais vezes, como vimos acima, são os artigos. Por isso vamos fazer uma cópia diária para não perder nada. Isso está em base de dados. Os temas e plugins de certeza que é mais raro mudares por isso uma cópia mensal é suficiente. Isso está nos ficheiros.

E para garantir que não falta nada, é melhor ficar com mais de uma cópia. Normalmente fico com os últimos cinco dias dos artigos e os dois últimos meses de temas/plugins.

Configurar um backup

Para garantir que tudo o que é ficheiro está na cópia, é preciso validar abaixo que as três caixas estão marcadas.

Configurar o que guardar no backup

Podes ainda fazer uma cópia local caso não confies no alojamento remoto. Eu tenho no Dropbox porque é onde estão as coisas deste blog.

Selecionar para onde fazer backup

Como por vezes no tema o processo demora muito, o ideal é saberes fazer manualmente. Fazer download dos ficheiros um a um pode demorar muito. Há temas com 1500 ficheiros. Mas se for um só ficheiro é quase instantâneo. É só ires pelo File Manager do cpanel até à pasta public_html/wp-content, selecionares a pasta (sem entrar) e fazer Compress para gerar um ficheiro único com terminação .zip. Depois com o Download dá para tirar esse zip para o computador local.

Gerar um zip para fazer download

Para a base de dados é um processo manual. É preciso entrar no cpanel e escolher a opção backup ou preferencialmente Backup Wizard.

Se tiveres o Wizard é provável que traga logo tudo.

Database Wizard

No Backup há uma opção integral e uma por partes. Alguns serviços fazem backups diários ou semanais gratuitamente, mas é sempre melhor fazer um de vez em quando, em especial antes de mexidas importantes.

Backup integral

Não há formas automáticas de fazer isto?

Há sempre formas automáticas, mas normalmente são as versões pagas. O Updraft Plus Premium faz backup automático antes de cada mexida no blog. Há serviços de alojamento que enviam o backup da base de dados por email…. A questão é, se te dão isso, depois tens o trabalho duplo de ver se está bem feito sempre que ele chega e de fazer o restauro quando der asneira. Não é melhor fazeres isto de vez em quando manualmente e começares a conhecer os sítios das coisas?

Recomendações

  • Controlar o tamanho de cada ficheiro.

Em teoria um blog ativo tem sempre novos conteúdos e cada backup tem mais informação do que o anterior por isso o tamanho tem de aumentar um pouco de cada vez no caso dos artigos, mas normalmente não altera no caso do temas e plugins a não ser que tenha havido uma atualização.

  • Validar o conteúdo.

Ter um servidor de testes costuma ajudar. Se conseguires montar uma cópia funcional do blog, é porque o backup está bom.

  • Gerir o espaço ocupado.

Achar que os backups estão a ser feitos e descobrir que não, apenas porque acabou o espaço em disco, é mais do que chato.

  • Frequência recomendada dos backups manuais.

Dependerá muito do tamanho da equipa. Se fosse uma empresa com departamento de informática, teria de ser semanal. Para blogs individuais o realista é a cada três meses. É uma questão de minutos que poupa muito trabalho. Na teoria há backups automáticos, mas nunca se deve confiar cegamente.

  • Frisando mais uma vez, se isto falhar, tens de republicar cada post (e os comentários estão perdidos).

 

Então o que preciso de ter localmente?

Tudo. Aqui fica uma lista do fundamental para um blog e que tanto serve para uma pessoa só como para uma equipa.

Calendário – plano de publicação e com lembretes para fazeres backups, renovar domínio, alojamento e certificado.

Media Kit – documentos a enviar para empresas e imprensa. Uma lista de quem já o recebeu (quando, que versão) e qual a resposta também é útil.

Faturas – todas as despesas e os lucros com o blog.

Artigos em Rascunho – o que estás a escrever e ideias soltas que surjam.

Artigos Publicados – O que está a sair do blog que um leitor vê. Muito útil se a ideia for depois publicar em livro.

Imagens Usadas – Banners do blog, foto dos autores, cabeçalhos de categorias, fotos usadas em artigos…

Backups – as cópias de segurança feitas manualmente da base de dados (artigos) e dos ficheiros (temas, plugins). Uma lista dos plugins e dos temas usados também pode ser útil.

Certificado – o certificado SSL colocado no blog para ficar como https.

Palavras-passe – utilizar um gerenciador de palavras-passe para saber os dados de acesso ao site de venda de domínio, site de venda de certificado, site de venda de alojamento, administração cpanel, administração wordpress, base de dados.

E tudo isto é localmente, mas também com backups! Se não quiseres fazer para a nuvem, faz para um disco externo ou uma pen.

Publicado em Sem Categoria Etiquetas: ,